SONETO XIX



Hão de chorar por ela os cinamomos,
Murchando as flores ao tombar do dia.
Dos laranjais hão de cair os pomos,
Lembrando-se daquela que os colhia.

As estrelas dirão: - "Ai! nada somos, 
Pois ela se morreu, silente e fria... " 
E pondo os olhos nela como pomos,
Hão de chorar a irmã que lhes sorria.

A lua, que lhe foi mãe carinhosa,
Que a viu nascer e amar, há de envolvê-la
Entre lírios e pétalas de rosa.

Os meus sonhos de amor serão defuntos...
E os arcanjos dirão no azul ao vê-la,
Pensando em mim: - "Por que não vieram juntos?"





Alphonsus de Guimaraens

OCASO








(Impressões de véspera de finados)


Perdido como estou nesta grande charneca,
Cheio de sede, cheio de fome,
Disse-me Deus: “Sê bom!” E o Diabo diz-me: “Peca!”
E os anjos e demônios repetem o meu nome.

O cemitério está, nas glórias deste ocaso,
Cheio de leitos como um hospital.
Eu sonho que estou morto e sonho que me caso…
Vou vestido de noivo e coberto de cal.

Eis o que vejo além nas glórias deste ocaso:

Mulheres velhas e mulheres novas,
Homens e crianças vão levando flores.
Não há coroas para tantas covas,
E nem pranto para tantas dores.

Se este padre vai para o meu enterro,
Deixai-o caminhar bem devagar.
O cemitério está no alto daquele cerro…
Que ele não possa, ó Deus, nunca mais lá chegar!

Se este carpinteiro que me segue,
Apronta as tábuas do meu caixão,
Fazei, Senhor me Deus, como que ele cegue
Antes de aprontar meu caixão.

Se estes senhores de tão negras calças
E de sobrecasacas tão modernas,
Querem pegar, tristíssimos, nas alças
(Pois se olham de tal modo quando eu passo),
Fazei, Senhor Meu Deus, como que suas pernas
Não possam dar mais passo.

(Alguém agita sudários no poente.)

Se este coveiro agora mesmo
Cavava minha cova inexistente,
Cantando e soluçando,
Fazei, Senhor meu Deus, com que ele agora mesmo
Caia na cova que está cavando.

Se a costureira que ali trabalha,
Em vez de camisa de noivado,
Vem oferecer-me esta mortalha,
Que ela não tenha, ó Deus, no leito em que repousa,
Nem a camisa branca do noivado,
Nem um noivo que a queira por esposa.

Se estes sinos vão dobrar por mim,
Se este é o momento do meu enterro,
Fiquem os sinos a esperar por mim…
Que eu nunca alcance, ó Deus, o alto daquele cerro!











Alphonsus de Guimaraens

A ÁTIS




Não minto: eu me queria morta.
Deixava-me, desfeita em lágrimas:
"Mas, ah, que triste a nossa sina!
Eu vou contra a vontade, juro,
Safo". "Seja feliz", eu disse,
"E lembre-se de quanto a quero.
Ou já esqueceu? Pois vou lembrar-lhe
Os nossos momentos de amor.
Quantas grinaldas, no seu colo,
– Rosas, violetas, açafrão –
Trançamos juntas! Multiflores
Colares atei para o tenro
Pescoço de Átis; os perfumes
Nos cabelos, os óleos raros
Da sua pele em minha pele!
[...]
Cama macia, de sua beleza
o amor nascia, e eu matava
A sua sede" [...}
Cai a lua, caem as plêiades e
É meia-noite, o tempo passa e
Eu só, aqui deitada, ardente.
— Adolescência, adolescência,
Você se vai, aonde vai?
— Não volto mais para você,
Para você não volto mais.



Safo

O INFERNO DE WALL STREET





1 (O GUESA, tendo atravessado as ANTILHAS, crê-se livre 
dos XÈQUES e penetra em NEW-YORK-STOCK-EXCHANGE ;  
a Voz dos desertos :)

— Orpheu, Dante, Æneas, ao inferno
Desceram  ; o Inca ha de subir . . . 
 == Ogni sp'ranza laciate,
   Che entrate . . . 
— Swedenborg, ha mundo porvir ? 

2 (Xèques surgindo risonhos e disfarçados em Railroad-
managers, Stockjobbers, Pimpbrokers, etc., etc., 
apregoando :)
— Harlem !  Erie !  Central !  Pennsylvania !
== Milhão !  cem milhões !!  mil milhões !!!
 — Young é Grant !  Jackson,
   Atkinson!
Vanderbilts, Jay Goulds, anões !

3 (A Voz mal ouvida d'entre a trovoada :)
— Fulton's Folly, Codezo's Forgery . . . 
Fraude é o clamor da nação!
 Não entendem odes
   Railroads  ;
Paralela Wall-Street á Chattám . . . 

4 (Correctores continuando :)
— Pygmeus, Brown Brothers !  Bennett !  Steuart !
 Rotschild e o ruivalho d'Astor !!
  == Gigantes, escravos
      Se os cravos
  Jorram luz, se finda-se a dor ! . . 

5 (NORRIS, Attorney  ; CODEZO, inventor  ; YOUNG, Esq., 
manager ;   ATKINSON, agent ;   ARMSTRONG, agent ; 
RHODES, agent ;  P. OFFMAN  &  VOLDO, agents ; 
algazarra, miragem  ; ao meio, o GUESA :) — Dois !  trez !  cinco mil !  se jogardes,
Senhor, tereis cinco milhões!
  == Ganhou !  ha !  haa !  haaa !
   — Hurrah !  ah ! . .
— Sumiram. . . seriam ladrões ?  . .

6 (J. MILLER nos tectos do tammany wigwam desenrolando 
                          o manto garibaldino :)
— Bloodthirsties !  Sioux !  ó  Modocs ! 
A’ White House !  Salvai a União,
 Dos Judeus !  do exodo
  Do Godo ! 
Da mais desmoral rebellião ! 

7                                  (Mob violentada :)
— Mistress Tilton, Sir Grant, Sir Tweed,
Adulterio, realeza, ladrão,
 Em masc'ras nós (rostos
  Compostos)  
Que dancem á eterna Linch Law !

8                         (RMO. BEECHER pregando :)
— Só Tennyson, só, só Longfellow,
S'inspiram na bôa moral :
 Não strikers Arthurs,
  Donahues,
Nem Byron João, nem Juvenal ! 

9 (TILTON  gemendo com as dôres de cabeça de JUPITER :)
— Pallas !  Pallas !  sermão de Sátan ! 
Cheira a corno a beecher moral ! 
 Hui !  sermões de chamma
  Madama  
Ouviu de Plymouth ao zagal ! 

10 ( JOANNES-THEODORUS-GOLHEMUS pregando em BROOKLYN :)
— Rochedo de New Marlborough ! 
Grutta de Mammoth !  a Mormão
 Palrar antes fôras ! 
  Desdouras
Púlpito ond' prégou Maranhão ! 

11                 (BEECHER-STOWE e H. BEECHER :)
— Mano Laz'rus, tenho remorsos
Da pedra que em Byron lancei  . . .  == Caiu em mim, mana
  Cigana ! 
Elle, á gloria ;  eu, fóra da lei ! 

12          (Dois renegados, catholico, protestante :)
— Confiteor, Beecherô . . .    L'Epouse
N`eut jamais d'aussi faux autel ! 
 — Confiteor . . .  Hyacinth
    Absinth,
Plymouth was barroom, was bordel  !

13 (Ambos em LIEDERKRANZ folgando á confissão :)
— Abracadabra !  Abracadabra ! 
Mahomed melhor que Jesus
 Entende a mulher
      E o não quer
Nos céus quem da terra é a cruz ! 

14 (Muitos libertadores da consciencia, catholica, pro-
               testante, unitaria  ; CONFUCIUS :)
— O’ prínc'pe Bismarck, aos Jesuitas ! 
== São Bartholomeu, aos Maçons ! 
 — Aos taes divindades
    Trindades ! 
== Fu !  christophobia em Mormons ! 

15 (SAMARITANAS pretas vendendo ponche no templo de 
                                 ZYON :)
— Halloo !  fonte esta é de Bethsaida ! 
O gado ahi bebeu de Jacob ! 
 Senhores Jesus,
  A este jus
Noé temperava o gogó ! 

16 (HIEROSOLYMITANAS brancas vendendo ‘beijos a 25
               cents, nas church fairs ’  :)
— Africa borrou toda a América,
Qual guaribas ao caçador ;
 Muito o Indio queria : 
  Honraria
E Deus de Las Casas e amor ! 

17 (TILTON  gemendo e reclamando  $ 1,0 por damages 
                       á sua honra-MINERVA :) — Todos teem miseria de todos,
Stock 'xchanges, Oranges, Ô !  Ô ! 
 Miseria teem todos :
  São doudos,
Se amostram ;  sabios, if do not.

18 (Fiéis   esposas   encomendando   preces   por   seus 
maridos que só teem gôsto pelo wiskey e a morphina  ; 
                                         MOODY :)
— Ai !  todo o Hippodromo os lamente ! 
Resai, Mister Moody, p'r'os reus . . . 
 == Temp'rança, cães-gosos
    Leprosos ! 
Sois que nem conversos Judeus ! 

19 (Pretty girls com a BIBLIA  debaixo do braço :)
— Testamento Antigo tem tudo ! 
O Novo quer sanctas de pau . . . 
 Co'o Book  jubilante
  Adelante,
City bell's, ao lager anyhow !

20 (DUQUE ALEXIS recebendo freeloves missivas  ; 
                         BRIGHAM :)
— De quantas cabeças se fórma
Um grande rebanho mormão ? 
 == De ovelha bonita,
  Levita,
Por vezes s'inverte a equação.

21 (Pretty-girl moribunda em NEWARK ‘ stupefied with 
liquor nos bosques e visitada por vinte e três ’ 
satyros :)
— Hui !  Legião, Venus-Pandemos !  
Picnic, O !  Christãos de Belial ! 
 Paleontologia ! 
  Heresia
Preadã !  Gábaa protobestial ! 

22 (Hymnos de SANKEY  chegando pelo telephono a 
                      STEINWAY HALL :)
— O Lord !  God !  Almighty Policeman ! 
O mundo é ladrão, beberrão,
 Burglar e o vil vandalo   Escandalo
Freelove . . .  e hi vem tudo ao sermão ! 

23 (Yankee protestante em paraense egreja catholica :)
— Que stentor !  que pancadaria
Por Phallus, Mylitta !  Urubú,
 Pará-engenheiro :
  Newyorkeiro
Robber-Indio . . .  bailo o tatú ! 

24                   (LINNÆUS, SYSTEMA-NATURÆ :)
— Animal reino é reino egoísmo,
Amor, nutrição, religião ;
 Só é liberal
    Vegetal,
Mineral, ou o sem coração.

25 (Astronomicas influencias, CANCRO e CAPRICORNIO :)
— São freeloves Ursas do Norte ;
Ped'rasta o Cruzeiro do Sul . . . 
 == A yanky !  o carioc !
         Stock, stock,
Minotauro e de Io o ôlho azul ! 

26              (MOODY, no espirito de EZEQUIEL :)
— Ai, humanidade (qual França
Sevandija ao p'tit Napoleão)
 Quer ferro candente ! 
  Eloquente  
Dom Bismarck é mais que o sermão ! 

27 (White-girl-five-years ao lynchado luisiano negro
                          C. ATKINSON :)
— Comer pomo edeneo (má fructa)
É morte e o paraíso perder ! 
 Nem mais Katy-Dids
  Nas vides
Ouvir do innocente viver.

28 (OSCAR-BARÃO em domingo atravessando a TRINDADE, 
assestando o binoclo, resmirando, resmungando de 
tableaux vivants, cortejando : o povo leva-o a  trambolhões para fóra da egreja :)
— Cobra !  cobra !  (What so big a noise ?  !  . . )
Era o meu relogio . . .  perdão !  . . 
 São ‘ pulgas ’ em Bod . . . 
  Me acode !  !  . . . 
== God ?  Cod !  Sir, we mob ;  you go dam ! 

29         (PATHFINDER meditando á queda do NIAGARA :)
— Oh !  quando este oceano de barbaros,
Qual esta cat'racta em roldão,
 Assim desabar
  A roubar . . . 
Perdereis, Barão, até o ão !

30 (OSCAR - BARÃO    perdendo   seus   foros   em   PHILIPPES, 
beija o dedo grande do pé  do SANCTO-PADRE e morre 
ROMANO :)
— Foi culpa dos Evangelistas
'Screverem de deante pr'a trás :
 Tal Yankee ao hebreu
  Entendeu
Que heis Biblia a formar Satanaz ! 

31                          (Em SING-SING :)
— Risadas de raposas bebadas ;
Cantos de loucos na prisão ;
 Deshoras da noite
  O açoite ;
Dia alto, safado o carão . . . 

32              (Os guardas, schools-rod-system : )
— Vara e sacco aos loucos amansam,
Com quem perde o tempo Jesus :
== Mais forte que amor
  E’ a dor ;
Mais que ambos é a pública luz.

33 (Juiz pequeno, terrivel julgando em Grand-Jury :)
— ‘ Bolas ’ a órphams ;  reus, ‘ Lamartine
Mendoso ’ e ‘ John Bull jogador ; ’
 Plenaria indulgencia
  D'Olencia ;
E Amaro a enforcar, Promotor !  34                       (V. HUGO e P. VISGUEIRO :)
— Ser cego, ser surdo, ser mudo,
Magistrado, eis a perfeição  . . . 
 == A cada um perdido
    Sentido,
  S'enche, Poeta, o teu coração ! 

35 (O GUESA escrevendo personals no HERALD e consultando 
                     as SYBILLAS de NEW -YORK :)
— Young-Lady da Quinta Avenida,
Celestialmente a flirtar
 Na egreja da Graça . . . 
     — Tal caça
Só mata-te almighty dollár.

36 (Thanksgiving ao progresso, CORONEL   MISS   CLAFFIN :)
— Eleita do meu regimento,
Eleição direitos perfaz :
 Nos céus bem convexos
  Os sexos
Se não guerram . . .  lá reina a paz.

37                (Democratas e Republicanos :)
— E’ de Tilden a maioria ;
E’ de Hayes a inauguração ! 
 == Aquem, carbonario
         Operario ;
Além, o deus-uno Mammão ! 

38      (Communa :)
— Strike !  do Atlantico ao Pacifico ! 
== Aos Bancos !  ao Erario-tutor ! 
 — Strike, Arthur !  Canalha
    Esbandalha ! 
Queima, assalta !  (Reino de horror  ! ) 

39 (MACDONALD, SHWAB, DONAHUE ;  Freeloves-CALIFORNIAS
                 e Pickpockets pela universal revolução :)
— De asphalto o ar está carregado ! 
== Hurákan !  o raio ora cae ! 
 — Caniculo mez,
        De uma vez,
Vasto Storm-god em Fourth-July ! 40 (Candidata á presidencia americana e rainhas europeas
       luctando contra a dureza dos positivos tempos :)
— Subir, é melhor para a gloria ;
Descer, para a respiração . . . 
 — A Bíblia escachaça
  Em fumaça,
Se é cabeça e não coração ! 

41                       (EMERSON  philosophando :)
— Descer . . .  é tendencia de principe ;
Subir . . .  tendencia é do vulgar :
 Faz um stagnação ;
  Da nação
O estagno, o outro faz tempestar.

42           (V. WOODHUL no mundo dos espiritos :)
— Napoleão !   Grand'Catharina ! 
Trema a terra á crys-sensação ! 
 Demosthenes !   Grande 
  Alexandre ! 
Woman rights, hippodromo e pão ! 

43              (TAMMANY entre as tribus :)
— Bisões !  Águias !  Ursos !  Gorillas ! 
Ao fundo lá vai Manhattan ! 
 Sitting Bull !  perdida,
  Vendida
Ao rascal, ao rum-Ahrimán ! 

44 (Salvados passageiros desembarcando do ATLANTICO ; 
HERALD deslealmente desafinando a imperial 
‘ ouverture : ’)
— Agora o Brazil é república ;
O Throno no Hevilius caiu . . . 
 But we picked it up ! 
  — Em farrapo
‘ Bandeira Estrellada ’ se viu.

45                            (THE SUN :)
— Agora a União é imperio ;
Dom Pedro é nosso Imperador :
 ‘ Nominate him President ’ ;
  Resident . . .  Que povo ame muito a Senhor.

46 (Um Plenipotenciario contradizendo e contradizendo-se :)
— ‘ Palavras ocas !  Lopes, logico
Foi no Paraguay ’ ; aos saraus,
 O Aleixo da Russia ;
       ‘ A esta súcia,
Não Pedros, só veem Kalakaus ’ ! 

47 (O mesmo propondo a outro o ‘ seu logar de commissario á EXPOSIÇÃO    de  PHILADELPHIA por causa do 
cheque-mate em sua fortuna ’ :)
— ‘ Dos Príncipes são protegidos
Os Poetas, ’  Senhor Guesa a errar ;
 Nem dão, qual banqueiros,
  Dinheiros . . . 
‘ Christo é Rei, e aos Reis nos curvar ’ ! 

48                                  (O GUESA :)
— Aos Genios teceram-se as c'roas,
Ou loiro ou o espinho a pungir
 Sagram . . .  só martyrios ! 
  Aos lirios,
Só o ar puro dá-lhes sorrir.

49 (Um rei yankee desembarca entre os immigrantes nas 
BATTERIAS, bebe aguas republicanas na fonte de 
BOWLINGGREEN  e desapparece ;  o povo sauda os 
carros de CÆSARINO  e ANTONIO pelo de JULIUS-
CÆSAR :)
— Off !  Off !  para São Francisco off,
Sem primeiro a Grant saudar ! 
 Só um spokesman
       Disse amen . . . 
Que a Deus deve a não a Cæsár.

50 (Commissarios em PHILADELPHIA expondo a CARIOCA 
            de PEDRO-AMERICO ;  QUAKERS admirados :)
— Antediluvio  ‘ plesiosaurus, ’
Industria nossa na Exposição . . . 
 == Oh Ponza !  que coxas ! 
  Que trouxas ! 
De azul vidro é o sol patagão !  51 (Detectives furfurando em MAIN-BUILDING ; telegrama
                              submarino :)
— Oh !  cá está  ‘ um Pedro d'Alcantara ! 
O Imperador stá no Brazil. ’
 — Não está !  christova
  E a nova,
De lá vinda em Septe de Abril ! 

52                        (MONROE  tolerando a EUROPA :)
— De tucano o papo amarello,
Do manto do Imperio do Sul
 Nos descobre as glorias :
  Historias
Do Hugo . . .  diz que a morte é azul ! 

53                         (MOYSES e ISAIAS :)
— De amores a obra primeira
Foi logo o assassino Cain ! 
 Satan-dobadora
       Até 'gora . . . 
== Heis um, de azas seis, Seraphim ! 

54 (PRESIDENTE GRANT com impassibilidade e seus ministros 
 BABCOCK, BELKNAP, etc. lendo o SUN e comprimentando 
 a DOM PEDRO :)
— De greenback as almas saudam
Ao ventre de oiro Imperador ! 
 == ‘ Bully Emperor’  incrente
    Em sua gente,
É tal rei tal reino, Senhor ? 

55      (DOM PEDRO  com impaciencia ao GENERAL GRANT :)
—Por que, Grant, á penitenciaria
Amigos vos vão um por um ? 
 Forgeries, rings, wrongs ;
  Ira's songs
Cantar vim no circo Barnúm ! 

56                         (GENERAL GRANT e DOM PEDRO :)
— Fazeis-nos os cabellos brancos . . . 
Um filho das leis do amanhan ! 
 == Com Romanos . . .  Papa ;
  Satrápa,
Com Gregos ; Napóleon, com Grant !  57 GLADSTONE pagando á thesouraria de WASHINGTON  os 
               milhões da arbitração de GENEBRA :)
—Very smarts !  Ô !  Ô !  Very smarts ! 
Mas poz o Alabama p'ra trás
 Aos puffs-Puritanos
  Cem annos ! 
Sobre-rum-nadam  fiends, rascáls ;

58 Post war Jews, Jesuitas, Bouffes
Que decidem de uma nação 
 A cancan !  . .  e os 
  Homeros
De rir servem, não de licção ! 

59 (DISRAELI ‘ordenando a TENNYSON a ode da volta do  
PRINCIPE de GALES, das INDIAS, e fazendo fogos de 
vista,’ que a RAINHA não queira vir vel-os ao 
CENTENNIO :)
(‘ Honi soit qui mal y pense ’)
— ‘ To his return our bosom burn !
Cada Inglez é dois, mais feliz ! 
 Vezes duas subdito,
  Subdito
D'angla Rainha e india Imperatriz ! 

60    (DOM PEDRO rindo-se e o GENERAL GRANT sorrindo :)
— Desde Christie, a Grande Bretanha
Se mede co'o Imperio que herdei . . . 
 Rainha-Imperatriz . . .  ! 
         == Os Brazis
Vos farão Imperador-Rei . . . 

61 (Côro dos contentes, TYMBIRAS, TAMOYOS, COLOMBOS, 
etc., etc. ;  música de C. GOMES a compasso da 
sandalia d'EMPEDOCLES :)
— ‘ A mui poderosa e mui alta 
Magestad do Grande Senhor ’
 Real ! ==  ‘ Semideus ’ ! 
        — São Matheus ! 
== Postrou-se o Himavata, o Thabor ! 

62 (DOM PEDRO substituindo o beijamão e nauseado 
      d`incensos ; GENERAL  GRANT  aspirando-os :) — Me desenthrono . . .  por Mac Máhon ! 
D'Estado, enviez, golpe vou dar ! 
 == O termo terceiro
      Ao poncteiro. . . 
Directo golpe, vou m' coroar ! 

63 Mas . . .  pondo por bars e cocheiras,
A urna, a sacra !  a eleitoral ! 
 Muito esterco, o fructo
  Vem bruto . . . 
— Hu . . !  nós, isso  é na Cathedral ! 

64 == Não ha democratas melhores
 Que os Rêis na Republica o são . . . 
 — Ser povo bem quero
  No Imperio :
Fazem-me id’lo, rojam-se ao chão ! 

65 Pois ‘republicanos que temos
São qual Salvator,’  querem pão :
 Se o damos, bem falam ;
  Estralam
Se o não damos . . .  fome de cão ! 

66 == Aqui, tudo vem, da balança
No oiro ter-se de equilibrar . . . 
 — Lá, a horizontal
  Equival
Bom rumo a quem vai para o ar. . . 

67            (MISSISSIPI  e GUANABARA denunciando-os :)
— Tirade-n’os phrygios barretes,
Conspiradores das nações ! 
 == Quirites, cuidado . . . 
  O Estado
Não é vosso ;  sois os guardiões ! 

68                  (GENERAL GRANT e DOM PEDRO :)
— ‘ É causa o espherico da terra,
De o mais alto cada um se crer ’ ;
 Quem liberalisa,
       Escravisa . . . 
== Regicidas, rêis querem ser.

69             (Separam-se para os dois pólos :) — A terra vai tendo outra fôrma
Em Candido (abraçam-se), haaa ! 
 (Jesuita casaca
      Tem faca
Que faz a amplexão sempre má.)

70 (Burglars preparando gazuas para a escuridão 
  imminente das trevas universaes :)
— As mitras e as c’roas teem pedras
De diamantes e d’igneos rubis :
 Infalib’lidades . . . 
  == Realdades . . . 
Russo-Turco o sol sempre cris ! 

71 (Freeloves meditando nas free-burglars bellas artes :)
— Roma, começou pelo roubo ;
New York, rouba a nunca acabar,
 O Rio, anthropophago ;
  == Ophiophago
Newark . . .  tudo pernas p’ra o ar . . . 

72 (W. CHILDS, A.M. elegiando sobre o filho de SARAH-
                                STEVENS :)
— Por sobre o fraco a morte esvoaça . . . 
Chicago em chamma, em chamma Boston,
De amor Hell-Gate é esta frol. . . 
 Que John Caracol,
  Chuva e sol,
Gil-engendra em gil rouxinol . . . 
Civilização . . .  ão ! . .  Court-hall ! 

73 (FLETCHER historiando com chaves de São Pedro e 
                   pedras de São-Paulo  :)
— Brazil, é brazeiro de rosas ;
A União, estados de amor :
 Floral . . .  sub espinhos
  Damninhos ;
Espinhal . . .  sub flor e mais flor.

74 (COLUMBUS perdendo e VESPUCCI   ganhando, pelas 
                               fórmas :)
— Em Cundin-Amarca, El Dorado,
O Zak em pó de oiro a brilhar . . . 
 == Amarca é America,     Am-eri-ca :
Bom piloto assim sonda o mar ! 

75 (ZOILOS sapando monumentos de antiguidade :)
— Do que o padre Baccho-Luziada
Dom Jayme vall’ mais pintos mil ;
 == ‘ Bandeira  Estrelada ’
    É mudada
Em sol, se iça-a o Rei do Brazil ;

76 — Herculano, é Polichinello ;
Odorico, é pae rococô ;
 Alencar, refugo ;
  == Victo Hugo
Doido deus, o ‘ chefe coimbrão ’ ;

77 — Dos Incas nos quipus, Amautas
São Goethe, Moysés, Salomão,
 O Byron, o Dante,
  O Cervante,
Humboldt e Maury capitão,

78 Newton’s Principia, Shak’spear’, Milton
O Alkorão, os Veddas, o Ormuzd,
 As Mil e Uma Noites,
  E açoites
Que dera e levara Jesus :

79 Pois ha, entre o Harold e o Guesa,
Differença grande, e qual é,
 Que um tem alta voz
  E o pé bot,
‘ Voz baixa ’ o outro, e firme o pé. ’

80 E cometas, aos aerolitos,
Passando, sacodem pelo ar . . . 
 == Vêde os vagabundos
    Mimundos
Que ostentam rodar e brilhar ! 

81 (LA-FONTAINE tomando para uma fabula os matadores
                      de IGNEZ-DE-CASTRO :)
— Formigas não amam cigarras,
Vampiros de Varella Luiz
 Não são Pedros crús ;
  São tatús Impios, cabros, cuis e saguis.

82                               (ZOILOS :)
— Jur’parîpyrás (não Evang’lina)
O Governador Maranhão,
 Pimentas bahianas,
  Mundanas,
Trasladava, é o seu galardão.

83                       (O NOVO MUNDO :)
— Bons vates, nada ha que se oponha
Mais da vida á conservação
 Que de mulher d’outro
  Maroto
Ser (leis de Manú) cortezão ! 

84 (LONGFELLOW  queixando-se ; trio dos paes :)
— Doe !  doe !  doe a perversidade
Comque ás filhas de nosso amor
 O mundo denigra ! 
  == S’emigra
Para o inferno huivando de dor ! 

85 (Octogenario BRYANT trabalhando :)
— Que bem que descantam as gralhas,
Jehovah !  Jehovah !  Ku-Klux
 Creando outros mundos
  Profundos,
Fizeram as trevas . . .  da luz ! 

86 Treva é a matinée de Pharsalia,
Wolfgang, e que tanto custou ! 
 Nem poema preclaro,
  Mais caro
Que o Guesa, insolvavel se achou ! 

87 (Episcopaes com a egreja cheia de fiéis e fazendo
                           banca-rôta :)
— Reconstruiriam-se templos
Com tão vasta congregação
 N’um dia . . .  ai dollares ! . .
  E altares,
Cruz, tudo ao credor, ao leilão !  88 (Catholicos, temendo a glória da banca-rôta, fecham 
                       as portas aos beggars :)
— Se não pagam cash hi não entram !  
Em latim Missa, o Papa e os Céus ! 
 Qual confessionarios !  . . 
  Frascarios
Só queimados dão o que é de Deus ! 

89          (Pan-Presbyterianos chamberlainisando :)
— Incuba mulher do Cordeiro ! 
Sinagoga de Satanaz ! 
 ’Sposa apocalyptica,
  Breck’nridgica
A côrte Herr Gallante vos faz ! 

90                       (Out-laws Unitarios :)
— Só não honra os paes do Messias
Quem é a deshonra dos seus :
 Em mestres de amor
  E em valor
Venceis vós ao Rei dos Judeus

91 — Só o leal, nunca o Loyola,
Conquista um nobre coração :
 Vulcanico monte,
  Acheronte . . . 
  ‘Water-head’ ? ’s mother-Goose Ton’-Tão ! 

92 (Maus-peccadores bons-apóstolos, illuminados às 
crenças de remissão e resurreição dos mortos, vendo 
JERRY MCCAULAY e revendo FROTHIMGHAM  no ‘Christ 
would not suit our times’ :)
— Peccavi diz um, e transforma
Pagodes em templo christão ;
 N’um templo o outro :  cruz
  Com Jesus ! 
‘ Christianismo é superstição ! ’

93 Reservado é o mundo, em que o homem
É o sêllo co’as armas do Auctor
 E espelhos . . .  Frothimgham
  Ou Brigham,
Quebrados ; e o Beecher, melhor.

94 (Epicurus ensinando entre Chymica e Psychologia :) — Pobre Deus ideal . . .  flor de carne,
Jardim do Diabo :  ergo, traição ;
 Ora, a fome é negra
  E se alegra
O verme, porque ha podridão.

95 Ou concluirás que és Hall-bruto,
Ou a alma s`envergonhará
 De em ti existir,
  A mentir
Vil viva, e hi querendo-se estar.

96 (Fogueiros da fornalha reduzindo o peccado original a 
fórmulas algebricas e á ‘NOVA FE’ (‘ moral rápido 
transito ’) o ‘ IN  GOD  WE  TRUST ’ dos cinco cents :) 
— Indústria, oiro práctica vida,
Go ahead !  oh, qual coração !  . . 
 A este ar, vai vital
  A espiral,
Brisa ou flato ou Bull-furacão ! 

97              (SANCTO  IGNACIO  fundando sua Ordem :)
— Magestade é só do cadaver,
Tal do ideal caiu no real ;
 Gêlo é fogo . . .  e os divos,
  Em vivos,
Só tractam do seu animal.

98                              (Reporters.)
— Que fila comprida, rajada,
Triste serpenteia em Blackwell ? 
 Carrere, Tweed Boss,
  Pelo cós
Um do outro . . .  justiça cruel ! 

99 == Cubano Codezo, Young Esquire,
 Um com outro a negaceiar,
  Protheus cabalisticos,
   Mysticos
 Da Hudson-Canal-Delaware ! 

100 — Norris, leis azues de Connecticut ! 
Clevelands, attorney-Cujás,
 Em zebras mudados
  Forçados, Dois a dois, aos cem Barrabás ! 

101                     (Amigos dos rêis perdidos :)
— Humbug de railroad e telegrapho,
Ao fogo dos céus quiz roubar,
 Que o mundo abrazasse
  E arvorasse
Por todo elle a Spangled Star ! 

102 (Um sol rebelde fundando um centro planetar :)
— ‘ George Washington, etc., etc.,
Responda ao Real-George-Três ’ ! 
 == Dizei-lhe, Lord Howe,
  Real sou . . . 
(E o nariz quebraram do Inglez).

103 (Satellites comprimentando aos raios de JOVE :)
— ‘ Saudar do universo á rainha ’ . . . 
Fiança Patriarchas dão sua . . . 
 (Com rei liberal,
  Peor mal,
Fundaram o imperio da lua.)

104                              (Reporters :)
— Papel fazem triste na terra
Rêis e poetas, gentes do céu,
 (E Strauss, o valsando)
  Cantando
No Hippodromo ou no Jubileu.

105 (Correctores achando causa á baixa do cámbio em 
                             WALL-STREET :)
— Exeunt Dom Pedro, Dom Grant,
Dom Guesa, que vão navegar :
 Seus lemes são de oiro
  Que o Moiro
Das vagas amansam do mar.

106 (Procissão internacional, povo de Israel, Orangianos, 
Fenianos, Buddhas, Mormons, Communistas, Nihilistas,  
Farricocos,  Railroad-Strikers,  All-brockers,  
All-jobbers, All-saints, All-devils, lanternas, música, 
sensação; Reporters: passa em LONDON  o ‘ assassino ’ 
da RAINHA e em PARIS ‘ Lot ’ o fugitivo de SODOMA :) — No Espirito-Sancto d’escravos
Ha somente um Imperador ;
 No dos livres, verso
  Reverso,
É tudo coroado Senhor ! 

107 (Feiticeiras de  KING-ARTHUR  e vidente FOSTER  em 
                        WALPURGIS  de dia :)
— When the battle`s lost and won —
— That will be ere the set of sun  —
— Puddock calls : Anon ! —
— Fair is foul, and foul is fair :
Hover through the fog and filthy air ! 

108                 (SWEDENBORG respondendo depois : )
— Ha mundos futuros : república,
Christianismo, céus, Lohengrin.
 São mundos presentes :
  Patentes,
Vanderbilt-North, Sul-Seraphim.

109 (Ao  fragor  de  JERICHÓ  encalha  HENDRICK-HUDSON;
os INDIOS vendem aos HOLLANDEZES a ilha de 
MANHATTAN  malassombrada :)
—  Meia-Lua, proa p'ra China,
Está crenando em Tappan-Zee . . . 
Hoogh moghende Heeren . . . 
  Pois tirem
Por guildens sessenta . . .  Yea !  Yea ! 

110 (Photophonos-estylographos direitos sagrados de defeza :)
— Na luz a voz humanitaria :
Ódio, não ; consciencia e rasão ;
 Não pornographia ;
  Isaias
Em biblica vivisecção ! 

111          (MITHRIDATES á prova de amigos toxicums :)
— Qual Jesus o açoita-peccados,
Carrega com elles :  por Deus ! 
 Da cruz ama o Guesa
  Esta empreza,
Dos vossos em bem e dos seus ! 

112 (‘ Imaginária imprensa ’ em maré-vazante coçando a 
                                  cabeça :)
— Desde Hayes, tudo prospera,
Menos viver de sensação :
 Mãos á obra !  . . .  ‘ É não éxcellent
  O président ’
Pois é um kranky, um papão !  

113 (KATIES  fazendo camas-ratoeiras ; sister NEWCOAT- 
                                                 SHAFFEY :)
— ‘ Masher H`rald some stain in ’t wants : ’
N’alta cerviz . . .  vampiro !  ao meio . . . 
 O !  O !  O !  cocktail ! 
  == Paga bail,
Ou . . .  não ha diabo mais feio ! 

114 (Surge frighter vermina GUITEAU ; risadas a um tiro 
              de polvora sêcca em FORTH-JULY :)
— Bennbennesses business little
‘ Remove him, ’ o magno rascál ! 
 == ‘ Church-Loyer-Stalwart, ’
  Um Mavorte,
Faz bala do heraldeo jornal ! 

115 (SEPARATISTAS, CHINS, CÆSARINOS,  contra GARFIELD 
                                   em ‘corner ’ :)
— Cuidado, ó vós, co`os sinking-faces
Cassius-Romano, Lincoln, ‘ Lot ’ ! 
 == A taes, Sul, nem Roma,
  Ou Sodoma,
Resistem ! — Valente Guiteau ! 

116            (Flores cobrindo á quéda das fructas :)
— Judas evitara a difama
 Se abrisse logo subscripção,
 Nem fôra traidor,
  Em favor
De José, Maria e João ! 

117 (Freeloves passando a votar em seus maridos :)
— De americanos o unico Emerson
Não quer prezidencias, o atroz ! 
 == O’ bem justiçados,
  Estados Melhoram p’ra vós e pr’a nós ! 

118            (APOCALYPTICAS visões . . .  calumniosas :)
— Pois, ‘ tendo a Besta patas d`urso, ’
In God we trust é o Dragão, 
 E os falsos-prophetas
  Bennettas
Tone, o Theologo e o da Ev’lução ! 

119 (Apedrejadores do occaso ; Indio estuporado á 
   claraboya magnética :)
— Matacães . . .  ao sol retro-raios . . . 
Lady Brown, algum te alcançou ? 
 == Danteo trombeteiro
  Brejeiro
Que ao gato harauto hidrophobou ! 

120 (Assassinos alegres engordando nos plafonds da cadeia :)
— Oh, que bons beefsteacks !  regalos
Do ‘instrumento bom de Lordy  ’ ! 
 Que os musicos nobres
  Aos pobres
Defendam ’squecidos assim ! 

121 (PLYMOUTH  ‘ on evolution ’  sentimental ;  HERALD  ‘ on 
                     involution ’  estomacal :)
— Aromas, Christãos desperdiçam ! 
== Mais vale a um pobre, caldeirão
   De porco, farinha um barrel,
    Cocktail . . . 
— Ô !  Ô !  Christo co’ indigestão ! 

122 (Pagã LUCRECIA antiga ; moderna christã LUCRECIA :)
— Romana loba a Collatinus
Vinga, em si cravando o punhal ! 
 == Yankee ursa s`embolsa
    Co’a solfa
Dos assassinos de Paschoal ! 

123 (HALL-HALL comendo o enxofre de SODOMA ;  MARWOOD 
                             torcendo os bigodes :)
 
— Estomacal . . .  até que sonhas
Com ‘ Lot ’ e os ‘ anjos ’, ou Abrahão ! 
 == Ou Jam’-Benne’-Gord’,   A quem chorda
de Guiteau espera !  . .  ah !  gil-Jam’ ! 

124 ( ‘ Voltam feitiços contra feiticeiros ’ ; mãos divinas 
offerecendo o ‘ copo-d`água-DEUS ’ aos ‘ que teem 
sêde de justiça ’ :)
— O’ burglars, Gomorrha e Sodoma
Fugiram os queridos dos céus ! 
 No sulphur quedando
  E estoirando
Os Sodomões e os Gomorrheus ! 

125 (Dois reverendos espatifando-se ao clarão do fogo
                                 celeste :)
— ‘ Beecher gorilla Gomorrheorum ’
Com ‘ Talmage superstição ’,
 Teem, teem o sabor
  D’este amor
De sulphur em conflagração ! 

126 (Consciencias perante a historia substituindo aos
                         destruidos NATURAES :)
— Chumbando Booths aos rêis-‘gorillas,’
A raça melhoram de côr :
 E o negro Africano,
  Amer’cano
Já é peau-rouge !  será brancor ! 

127 (DR. TALMAGE ; MESSRS. DONOVAN & Co. curtindo pelles 
                      variegadas humanas :)
— Gentlemen : disciplo  ‘ inspirado ’
A Beecher não vende Guiteau ! 
 == De Steuart o coiro
  Pesa oiro
Em polimento, em moroccô ! . . 

128 (REV. BEECHER, vendo subscripção antes  ‘ gladdening the 
sufferers’ e sensação após ‘ saddening the glads, ’  não 
crê mais na palavra, ‘ recommenda sabão á congregação ’ 
e monta em ‘ seu bicycle ’ :)
— Some stain is in that new business
Que pear-soap não pode lavar ! 
Washwomen ‘ nodoam ’
  E entoam : ‘ Herald-Flood-Fund, ’  a ensaboar !  . . 

129 (Outros alagados salvando-se na columna  ‘ 666 ’ do 
                             templo de KUN :)
— Agrippina é Roma-Manháttan
Em rum e em petroleo a inundar
 Herald-o-Nero acceso facho
  E borracho,
Mãe-pátria ensinando a nadar !  . . 

130 (NEWARK  ‘ dosed ’-girl, aux bois dormante, expirando :)
— Judeus negociam em Christos ;
Beliaes do em morte moral ;
Cowboys em Arthurs ;
  Em Stewarts . . .  ;
Em Garfields e em Guesas . . .  Heral’ . . . 

131 (Animated torrid-Zone — EMERSON proprietario a 
  incendios ; G. DIAS nos fire-proofs mares :)
— Do chaos sejam ecchos chaóticos,
Qual creação de Jehovah ! 
 == A Plato, Inglaterras ;
  Palmeiras
A’ tórrida-zona-sabiá ! 

132 (‘ Legendario FINANCE ’ divorciando a duas ‘ ilhas dos 
                       amôres ’;  ellas :)
— ‘ Dos Bebados ’ . . .  ‘ das Marandubas ’ . . . 
Miss Manháttan !   Dom Maranhão ! 
 == A ortigas estrigas
  Cantigas
Só . . .  Cruzeiro co' Ursas terão ! 

133 ( ‘OLD-PARÁ’-POND zeloso da sua sapucaya ; a VOZ :)
— Borracha . . .  tanto !  alma-cachaça . . . 
Tanto !  tanto . . .  cada mulher ! 
 De qual natureza
  E’ o Guesa ?  . . 
== Deu mais á ‘ Brief ’  que Webstér !  . . 

134 (Ursa no cio espesinhando ‘ dahlias ’ = violets e 
 despojando  HIAWATHA  morto-apóstolo ;  JOSEPHUS   
     beijando -lhe a mão, ‘ spiritual  ’ :) — ‘ I am wordly !  . .  never speak Spanish ? ’
== She-Bear . . .  Birdies valham-me, Deus !  . . 
 — Nem Messrs. Donovan
     Renovam
Coirões sanctos-Bartholomeus ?  ?  . . . 

135 (Hospitalidade venenosa ;  eccho dos prelos do 
                              LÍBANO :)
— ‘ Merry Wives’ !  !  Katies !  ás armas !  . . 
Camas-fogo, . . .  fogo no réu ! 
 == Respondam aos frades
  As madres . . . 
‘ Terremoto ’  á noite no céu !  . . 

136 (Ursa   em   loucura ; JOSEPHUS,   embrulhado  na 
 secundum-artem bordada túnica do centauro, 
       interpreta os pesadelos de PHARAÓ :)
— Yankees diamantes, ‘ fixe ’  Nessus . . . 
Vingança, Eunuco Potiphar ! 
 == Lindas ursitas
  Serão maldictas
D’ursas-móres, que hão devorar !  . . 

137 (Electricas sweethearts á ‘ school-road-system ’  
         preferindo o pára-raios de FRANKLIN  :)
— Poeta é cysne, oh !  . .  não porque canta,
Mas pela ideal lentidão
 Com que anda a amores,
  Horrores
De Lalas que prácticas são !  . . 

138 (Sentimentaes doctoras carbonizando o coração do 
                              GUESA :)
— Que escorra sangue, não veneno . . . 
== Um ‘ morango ’ !  — Oh . . .  todo oiro e dor . . . 
 == Fossilpetrifique ! 
  — Ai . . .  não fique
Sem gloria o Inca e o astro sem flor . . . 

139          (A VOZ, ida dos anjos — vinda dos vampiros :)
— Napoleão sem mais estrela, . . . 
Nuvem de corvos em Moscow,
Ring-negro horizonte,
  Na fronte  Foi-lhe a coroa que obumbrou !  . . 

140 (HERALD safe-guardando $2 do último e nunca-nato
 quinquagenario personal de ‘ HONOURABLE ’ ; policeman 
   lisonjeando-lhe a golla do business coat:)
— ‘  Is there any hope for parvenu ?
== Com certeza não, Sir Burglár !
 Patentes fazendo,
  Por  ‘ shadows  roendo ’
Da prima columna os ‘ dollárs ’ !  . . 

141 (DOM PEDRO á meia-noite na soirée do N. Y. HERALD :)
— No Solimões esta é a hora
Em que a luz se apaga e também
 Turemisam taes
  Personaes
Quaes no Hudson . . .  bravos !  Jam’ - Benn ’ ! 

142 (Silvios dedos rutilando ao typographar em vernaculo 
da ‘ BANDEIRA-ESTRELLADA’ ; POETA extáctico ;  a VOZ :)
— Grandes são as graças e thesoiros
De Balthazar-Imperador ! . . 
 == Que treme ahi sans-culottes
  Quijotes ? . . 
— Manè — Tessèl — Pharès, Senhor !  . . 

143 ( ‘Corners ’ == reporters ‘ on evolution ’ ; GORD-JAM-BENN 
                           ‘ flesh-and-devil ’ :)
—‘ Le roi s'amuse ’ . . .  aos ‘ all ranks ’
Gratis não trabalha ninguem . . .
 == Protheus I (cortezia)
  Dizia :
Ao servidor paga-se bem . . . 

144 (Forcas diabéticas-caudinas, mordomos destribuindo 
                                     $5,0 :)
— Jogou o Guesa esta quantia ;
Damos-l’a nós, e sem jogar :
 Côrte a Bennette
  A’ meia-noite ;
Bom riso á carne popular.

145         (HERALD advogando a causa chim-commercial :)
— In-God-we-trust  ‘ not worth its price, A great swindle is silver dollar ’ ! 
 Se em Deus nós cremos,
  Descremos :
Amor pagado ha mór pagar . . . 

146 (Barbaros  IN-HOC-SIGNO-VINCES ; ARCTURUS  curvado ante o CRUZEIRO :)
— P’ra que q’rias Pará, Urso-Yankee,
Que só tem borracha por Deus ? . . 
 == Cruz-Carioca, Praguay venceste ? . . 
  Os Celestes
São muito mais nossos que teus !  . . 

147 (Rei julgado limpo fóra, e sujo dentro do seu reino :)
— ‘ Liberal ’ ; ‘ flying ’ ; ‘ nem tem domingo,
Visita tudo ! ’ == ‘ P'ra Inglez ver ’ ;
 Mais val ‘ Joana a douda ’,
  Que á roda
Ao menos ensina a varrer ? 

148          (Reporters-provarás  how to get ‘ God ’ :)
— Com rêis é fazendo realezas ;
Com presidentes, sensação ;
 Com Vanderbiltes,
  ‘ Dynamites ’ ;
Co’os Indios, sombrinha e trovão ! 

149 (Magnético-kalleidoscopicos sonhos de NAPOLEÃO 
               ante a campanha de WATERLOO :)
— Very smarts !  O !  O !  very smarts !
Vós godmakers, eia ao valor ! 
 Harautos de tretas,
  Caretas,
Não vos sobe o incenso na côr ? . . . 

150 (ROSEMAN lendo christianissimos personals e applicando 
                a  “ low people, low punishment ”  :)
— ‘Papers  xplain. Certainly, though terrible ’ . . 
Siencia heraldea, ‘ paradise lost ’ . . . 
 A ‘ purring match ’ ! 
  And lash !  and lash !
Chinoi-Bennett á  ‘ wiping post ’  ! . . 

151 (Vampiros das trevas, offerecendo o imperio do mundo ;               DIOGENES  optando pelo banho do oceano :)
— ‘ Tight bird  (seeks ‘ thousand ’) !  ‘ Smoke ’ 
  ‘ makes millions ’ ! 
‘ Cidadão ’  da grande nação ?  . . 
 == Não tentai a Deus,
  Christãos meus . . . 
— ‘ Vale’ !  ou morre ou paga um ‘ milhão ’ ! 

152 (Gentlemen (saltimbancos) embarcando após DIOGENES ;
 comandante duplicando os placards do steamer :)
— Ou paga de amor tanta gloria
(Carinho houve mais que ninguem
 Dos pedreiros-livres
  Oirives) . . . 
== ‘ Servant ’, olhar p’r’os . . .  gentlemén . . . 

153 (O pae de ‘ ISAC ’ alevantando o dedo ante a proposta 
                 d’almas dos príncipes de SODOMA :)
— ‘ Jurei ao Senhor-Deus-Altissimo ’ 
Vingança :  eia !  pois, da tua mão
 Nem um fio . . .  figas ! 
  Não digas :
Enriquecemos a Abrahão ! 

154 (Gentlemen (pellotiqueiros) na catastrophe ; HURIS 
lenços-verdes enxugando os olhos-mortos de SANSÃO :)
— Do Guesa a Pharsalia explorada,
Num  ‘ corner ’  espremido o auctor,
 Dá oirão ! == A musa
  Cafusa
Dalila traiu-o . . .  que horror ! 

155 (O  GUESA  sorteado  em  CITY-HALL ;  CANDIDE-
                              VOLTAIRE :)
— Jurado de todas Américas,
Qual Columbus sou cidadão.
== Biblio . . .  com Jacob e o café
  Dos  ‘ Canticos ’ ; . .  fé ; . . 
Oppor á ratoeira a rasão ; . . 
E julgar á vivissecção ! 

156 (‘ Falta a CÆSAR, nunca aos amores, ’  DAVID   desprezado 
 de MICAL  por andar saltando adeante da arca do 
                                    ETERNO :) — Agarrando-os pelas queixadas,
Matei norte-urso e leão-sul ;
 Goliath ha-me a pedra da fronda ;
  Indo á ronda,
Evito os dardos de Saul.

157 (Gottas magneticas nos ares á manipulação de immortaes ?  
                  um morto redivivo contra a vontade dos 
             assassinos :)
— ‘ Não fales ! ’ que por um princípio
Vai Codrus em louco morrer !  . . 
 == Codrus ?  louco ?  padres
  Compadres,
Co’as vossas nódoas Deus não quer ! 

158    (Inquisição das trevas, GUATIMOZIN  nos brazeiros :)
— Dizer verdades que não dizem-se
Republicos, sem liquidar,
 E’ de mais tesão ! 
  Sensação
Liquide-o !  . .  e hypochondrios cremar ! 

159 ( ‘ Cifra nas azas da chimera ’  chrónica sobre rodízios 
ALMYGHTY-DOLLARS, gargalhadas á autópsia dos 
cadaveres :)
— ‘ Fi ’  para ‘ Thiers ’ . . .  ‘ cerebro nico ’,
Léon-Gambetta não é leão . . . 
 Oh que ambar que exhala
  E trescala
Este ‘ grey-perle’  macacão ! 

160 (JEAN-LUIS-de-PARIS  e  DAME-PÉLETIER preparando 
ceias do frio JANEIRO ;  REGENTE, APOSTOLOS e 
ESTRANGEIROS, convidados :)
— Que andem da sala p’ra cozinha . . . 
Dia de Reis, gavotta ao luar ! . . 
 == Que banquete quente
  De a gente
Dizer missa, o Gallo a cantar ! 

161 (Mesmas DAMAS e DAMAS RITA e GATÉE-HORTENSE dando 
bôas-noites a seus hóspedes ; HERCULES-GUTTENBERGS 
nos prelos magneticos :)
— Se houverdes maus sonhos, são ‘ pulgas ’ . . .  Bôas-noites, filhos de Alceu ! 
 == Traição !  fogo obsceno ! 
  Veneno
Que em Manháttan lávas ardeu !  . . 

162 (Panaché FÍGARO aos sons do piston-vainqueur, ás ímpias 
navalhas afiando, fazendo a barba aos PROPHETAS e 
chinó ás religiosas de claustro e ‘ drastico ’ :)
— Cara de sopas da Magdalena,
L'ombre accablat !  l'ombre accablat ! 
 Eh, teu ‘ Dieu drole ’ !
  Sha-casserole
Crea e repúblicas des toits ! . . .  ah !  ah ! . . 

163 (Et tout le genre humain est l'abîme de l'homme, um 
argueiro cego entre dois mil grand’olhos cavalleiros ; 
bombardeio nos consolidados mundos :)
— Oh, Cyclones !  Typhons !  sossobrem
Naus e aldeias !  ruge, Simoun ! 
 == Rev’lução hedionda
  Que estronda
De Figaro ás . . .  noces, bum, bum ! 

164 (Madres TON’-TONA  e CARNATA sem saberem que fazer 
      des ‘ enfants ’ ;  colheita das ‘ rosas brancas ’ :)
— ‘ Il faut la laisser dans le vague ’ . . . 
Eis de sancta o véu, lindo amor ! 
 == Não dobra ? . .  se corta ! 
  Está morta ! 
Loyola ha fogueiras de horror !  

165 (PAUL BERT, ‘ la morale des JESUITES ’:)
— Mais tristes que os que caem-lhes na unha,
São os que d’ella escapam . . .  Jesus ! 
 Que infame consciencia
  Indecencia,
De mães pondo ás filhas na cruz ! 

166  (‘ Vie drolatique ’ de . . .  RENAN ; ZOLA realista :)
— As ‘ grosses ’  grosses madres ‘ Dianas ’
Crêm suas filhas ricas beber
 ‘ O copo de sangue ’ . . .  a Carnata ! 
  A Tontata ! 
== Que sangueos ‘ POTS-BOUILLES ’ a crer !  167 (Sobredictas, e pythonisas NORTHORNA e SERGAITA 
dissolvendo-se á manipulação de um imperador 
romano :)
— Voltair’ toca a nós o bolero
(Diocleciano, fogo bebeu ! )
 == D’elle carne, d’elle osso
  E carôço . . . 
— ‘ Sacré nom !  sacré nom de Dieu ’ !

168 (Rei d`HESPANHA atarantado aos assobios de PARIS e 
 distribuindo 10,0 francos ;  presidente GRÉVY :)
— ‘ Puces ’  e ‘ muttons ’  de Prussianos,
Pucelles venceram Inglez ! . . 
 == Uhlan doze-Alfonso,
  Que engonço ! 
Que champanha o artista francez !  . . 

169 (Barbaria saindo do CEARÁ ; civilização entrando em 
              PARIS : generaes Bazaine e Moltke :)
— ‘ França é-te abysmo, homem grosseiro,
Sob a Prússia ’ . . .  baila o cancan ! 
 == ‘ A’ taille for fine ’,
  Badine
‘ Nicht ’  a armée grande em Sédan ! . . 

170 (Quádruplo ‘ corner ’ : V. HUGO monarquista ; D. PEDRO 
republicano ;  ALFONSO uhlan ;  um guesa fabricado 
franco-yankee homunculus :)
— ‘ Com tal rei ‘petit’ ainda eu fôra ’ ;
== ‘ Sans-culotte eu sou mesmo rei ’ ;
 —  Grevy . . .  que váias ! 
 == Que, Hugo, o não traias, . . 
A horas dadas não voltarei.

171 (Aureos ZAKS escovados n’outros practicos mundos :)
— Banindo os poetas, da ‘ Republica ’
Coroava-os com flores, Platão.
 == Yunka-yankee os depena
  Sem pena,
E zanga-se á historia, pois não ! 

172 (Cynico DIOGENES do utrinque-feriens ‘ corner ’ sem 
 lanterna e achando a verdade-quadratura do ‘ ring ’ :) — Very smarts !  O !  O !  very smarts !
A moscas fazer sensações ! 
 E huivar mundo todo :
  Ha um doudo
(O ‘ cão ’) e ha justos (os ladrões) ! . . 

173 (WASHINGTON  ‘ cegando por causa d’elles ’ ; Pocahontas 
                          sem personals :)
— A ursos famintos, cão damnado ! 
Seja !  após festins, o festão !  . . 
 == Meiga Lulu,
 Choras e tu
Mel ao ‘ imigo ’, abelha ? . .  e ferrão ? 

174 (Nariz guatimalo cornado em facho d’HYMENEU ; coração
DAME-RYDER nas envenenadas vidraças do ‘ too 
dark ’  wedding-pudding :)
— ‘ Caramba !  yo soy cirurjano —
Jesuita . . .  yankee . . .  industrial ’ ! 
 — Job . . .  ou poisada
  Malassombrada,
‘ Byron ’ magnetismo-animal !  . . 

175 (Prácticos mystificadores fazendo seu negócio ; self-help 
                                       ATA TROLL :)
— Que indefeso cáia o extrangeiro,
Que a usura não paga, o pagão ! 
 == Orelha ursos tragam,
  Se afagam,
Mammumma, mammumma, Mammão.

176 (Magnético handle-organ ; ring d’ursos sentenciando á 
 pena-última o architecto da PHARSALIA ; odysseu 
 phantasma nas chammas dos incendios d’Albion :)
— Bear . . .  Bear é ber’beri, Bear . . .  Bear . . . 
== Mammumma, mammumma, Mammão ! 
 — Bear . . .  Bear . . .  ber’ . . .  Pegàsus . . . 
   Parnasus . . . 
== Mammumma, mammumma, Mammão.





Poema: Sousândrade
O Guesa. Londres: Cooke & Halsted, c.1886, p. 231- 261
Arte: Tom Colbie

Translate

Tira-gosto

Um Poema ao Acaso

Porre de poesia

abismo Acaso aço Advertência aeroporto Alma alphonsus de guimaraens. poesia Amor Animal Anjo anjos anoitecer Apolo Apóstolo arcanjos Asas Assassinos aurélio ausência azul babélico baile Balas bananas Bar Barulho baudelaire beatnik Bela Beleza Bélica Bem Bukowski cabeça Caldeus cama Campo canções caos Carne ccinamomo cérebro cereja céu Chalvinski chamas chifre chuva cidade Cisne cocaína coisa Conto controle Coração Corte cristão culpa Desejo Destino devaneio Diamante diligência Dilúvio Dor drogas DYLAN THOMAS em qualquer lugar... Energia enforcado escuridão esmeralda espaço espírito estalagem estrelas Estupro étude explicação FANTASMAS Feminil feras ferida fernando pessoa Fim flor flores Floresta fogo futuro Gelo gênio geração ginsberg Gregório de Matos guerra hai cai Haroldo de Campos Herói horror humo ida Iluminuras Infância inflexão ingles Introspecção jack daniel's JARDIM jazz JOGO Jorge Luis Borges lábios lágrima lama Lamento Canção lâmina lápides Leda and the swan Leminski Liberdade Linda litanias livro Lixo Longe LOUCO loucura Lua cheia LUZ Mal manifesto Manoel de Barros Manuel de Barros MÃOS Mar mariposa mel menina mesma coisa Misandria Morrer Morte mulher Murilo Mendes música nada Não Noite Nudez Oceano Octavio Paz olhar olhos Ossos ótica Paixão peixeira Pensamento Piano piedade plano planta poder POEMA Poesia poesia brasileira Poeta Ponte prazer Primavera príncipe Prosa punhal Quimera Rainha Rapariga Rilke Rimbaud riso Rua Sabbath Safo Saias Sangue Saudade seios semideuses cheios de graça sentido Sentimento sepultura ser Sexo Silêncio sizígia sol Solidão sonho SORTE sucesso suicídio Suíno tarot Tempestade temporal topázios Torpeza Torre tragédias de malandros Tristeza Trovão Uísque Ur Vasko Popa vermelho Verso Vício Vinicius de Moraes Viver Walt Whitman Zeppelin Zeus

Frequentadores

Beberam aqui